Textos 5 série

A TERRA

CARACTERÍSTICAS GERAIS

            ELA É O TERCEIRO PLANETA MAIS PRÓXIMO DO SOL E O QUINTO DO SISTEMA SOLAREM TAMANHO.

            A FORMA DO NOSSO PLANETA É LIGEIRAMENTE ACHATADA NOS PÓLOS. ESSE FORMATO É DENOMINADO GEÓIDE.

            A SUPERFICIE TERRESTRE, ONDE ESTÃO AS CONDIÇÕES PARA A EXISTÊNCIA DA VIDA, COMO ÁGUA, GASES, ROCHAS, E MINERAIS, É IRREGULAR.

            A TERRA COMO A MAIOR PARTE DIOS ASTROS DO SISTEMA SOLAR, GIRA EM TORNO DE SI MESMA. O EIXO IMAGINÁRIO AO REDOR DO QUAL GIRA O NOSSO PLANETA RECEBE O NOME DE EIXO TERRESTRE. ELE ATRAVESSA DOIS PONTOS NA SUPERFÍCIE DA TERRA: O PÓLO NORTE E O PÓLO SUL. O EIXO TERRESTRE ESTÁ INCLINADO.

            DEVIDO À INCLINAÇÃO DO EIXO E À FORMA DA TERRA, A LUZ E O CALOR DO SOL, IMPORTANTES PARA ODESENVOLVIMENTO DA VIDA, NÃO CHEGAM COM A MESMA INTENSIDADE EM TODOS OS LUGARES DO PLANETA.

·            AS ÁREAS PRÓXIMAS AO EQUADOR RECEBEM GRANDE QUANTIDADE DE CALOR E SÃO MAIS ILUMINADAS.
·            NOS PÓLOS E NAS REGIÕES PRÓXIMAS A ELES, OS RAIOS SOLARES ATINGEM SUA SUPERFÍCIE D EMANEIRA MUITO INCLINADA E, POR ISSO, A QUANTIDADE DE CALOR ALI É MENOR.

            A DISTRIBUIÇÃO DESIGUAL DE CALOR IRRADIADO PELO SOL NA SUPERFÍCIE TERRESTRE EXPLICA A FORMAÇÃO DAS CALOTAS DE GELO NAS PROXIMIDADES DOS PÓLOS NORTE E SUL E A PEQUENA PRESENÇA DE SERES HUMANOS NESSAS REGIÕES DA TERRA.

            EM FUNÇÃO DAS DIFERENÇAS DE INTENSIDADE DE LUZ E CALOR QUE RECEBE DO SOL, A TERRA É DIVIDIDA EM TRÊS ZONAS CLIMÁTICAS OU DE ILUMINAÇÃO E AQUECIMENTO: TROPICAL, TEMPERADA E POLAR.


*  COLOCAR O DESENHO DO EIXO TERRESTRE E DAS ZONAS CLIMÁTICAS





Acidentes geográficos

Maiores rios, oceanos e desertos do planeta
Veja lista dos acidentes geográficos mais conhecidos do planeta: os maiores oceanos, os mares mais extensos, os maiores rios do mundo, os maiores desertos, as maiores altitudes, as maiores quedas d'água, os lagos mais extensos e as maiores ilhas da Terra.
Maiores acidentes geográficos
Os oceanos *
Área (km2)
Profundidade máx. (m)
Pacífico
179,7 milhões
11.524
Atlântico
106,1 milhões
9.220
Indico
74,9 milhões
9.000

Os três mares mais extensos
Área (km2)
Profundidade máx. (m)
Mar da Arábia
3,68 milhões
5.800
Mar da China Meridional
3,45 milhões
5.560
Mar do Caribe
2,75 milhões
7.680

Os três maiores rios
Localização **
Extensão (km)
Amazonas
Brasil
6.868
Nilo
Egito
6.671
Xi-Jiang
China
5.800

Os três maiores desertos
Localização
Extensão em km2
Saara
Norte da África
8,6 milhões
Gobi
Mongólia e noroeste da China
1,3 milhão
Kalahari
Sudoeste da África
930 mil

As maiores altitudes
Localização
Altura (m).
Everest
Nepal/China
8.848
K-2
Paquistão/China
8.611
Kanchenjunga
Nepal/índia
8.598

As três maiores quedas d’água
Localização
Altura(m)
Salto Angel
Venezuela
979
Tugela
África do Sul
914
Utigard
Noruega
800

Os três lagos mais extensos
Localização
Área (Km2) – Profundidade máx. (m)
Mar Cáspio
Oeste da Ásia
371 mil – 1.025
Superior
EUA/Canadá
84 mil – 406
Victoria
Uganda/Tanzânia/Quênia
68 mil– 73

As três maiores ilhas

Área (km2)
Groenlândia

2,18 milhões
Nova Guiné

785 mil
Bornéu

736 mil

* Alguns geógrafos consideram o oceano Glacial Ártico (com 14,09 milhões de km não como um oceano, mas como um mar formado pelo oceano Atlântico.A área do Atlãntico mencionada nesta tabela inclui o Ártico.
** Principal país que o rio atravessa.



O Mapa do aquecimento global
A primeira década deste século foi mesmo a mais quente da história, de
acordo com novos números de temperatura da superfície do planeta
divulgados pela NASA. A agência espacial americana também constatou
que 2009 foi o segundo ano mais quente desde 1880, quando medições de
temperatura passaram a ser feitas.
O ano mais quente foi 2005. O maior aumento na temperatura média
ocorreu na região do Ártico, como se observa no quadro ao lado.
O Instituto Goddard de Estudos Espaciais (GISS, na sigla em inglês),
da NASA, comparou as temperaturas médias dos períodos entre 1951-1980
e 2000-2009.
Para isso, utilizou três fontes em seus cálculos: registros de
temperatura de mais de mil estações meteorológicas espalhadas pelo
mundo; medições da temperatura da superfície da água feitas por
satélites; e aferições de temperatura feitas na Antártica.
Os números obtidos nestas três fontes de informação foram processados
por um computador do instituto.
Segundo os cientistas, uma combinação de fatores tem provocado o
aquecimento global. O aumento das emissões de CO2 e outros gases de
efeito estufa é um deles. Mas há outros fenômenos que contribuem para
este quadro, como mudanças na radiação solar e oscilações na
temperatura do oceanos, provocadas pela dinâmica das correntes
marítimas e pelos fenômenos El Niño e La Niña.
? Há uma variabilidade substancial a cada ano na temperatura global,
causada pelo ciclo El Niño-La Niña.
Porém, quando calculamos a média de temperatura durante cinco ou dez
anos para minimizar essa variabilidade, descobrimos que todo um
conjunto de fatores contribui para explicar as mudanças climáticas ?
comenta James E. Hansen, diretor do GISS, um dos maiores
climatologistas do mundo.
Os dados da Nasa mostram uma tendência de temperatura crescente de
aproximadamente 0,2 graus Celsius por década durante os últimos 30 anos.
? Esse é o número importante para manter em mente ? conta Gavin
Schmidt, climatologista do Instituto Goddard.
A Nasa apurou ainda que 2009 empata com 2006 na posição de quinto ano
mais quente já registrado, baseado em medidas retiradas na terra e no
mar. A análise, conduzida pelo GISS em Nova York, também mostra que no
Hemisfério Sul, 2009 foi o ano mais quente desde 1880.
E embora 2008 tenha sido o ano mais fresco da década ? devido ao forte
resfriamento do Oceano Pacífico tropical ? 2009 viu um retorno a
temperaturas globais próximas dos números recordes.
O ano passado foi apenas uma fração de um grau mais frio do que em
2005, o ano mais quente registrado, e preso ao agrupamento de outros
anos ? 1998, 2002, 2003, 2006 e 2007 ? como o segundo ano mais quente.
Formuladores das políticas propostas Conferência do Clima no mês
passado concordaram com o objetivo de manter o aumento das
temperaturas globais médias 2 graus Celsius, para evitar os piores
efeitos do aquecimento global. Os dados da Nasa fornecem novas
evidências para a discussão científica do aquecimento global e para a
tomada de decisões pelas nações.
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página